humano

Egoísmo humano – Onde vamos parar?

Oi!images

Primeiramente, quero declarar que são só opiniões, cada um tem a sua, fato.

Ao longo da minha vida, sempre vi situações que considero absurdas, dentre várias, uma delas é como nós seres humanos somos egoístas.

Nessas últimas semanas, lidando com algumas situações pessoais e observando pessoas próximas, vi que algumas coisas estão além do que pensamos ser e sim do quanto somos humanos solitários.

O tempo todo pessoas postam em redes sociais, o quanto estão sozinhas, mas se você diz um “oi” não há resposta, talvez por ver sua foto e pensar “não é bonito(a) o “suficiente” ou “não vou perder meu tempo”, quando na verdade tudo que você pediu era esse oi de alguém, que poderia ser seu amigo, te ensinar algo ou outra coisa, e sim, prefere então continuar sozinho e se lamentando por estar.

Quando se está com alguém, acham que a mesma é sua propriedade e ambos esquecem que relacionamento é lealdade, não é prisão e que por serem tão mesquinhos acabam se aprisionando sozinhos. Se afastam mais uma vez por não pensarem juntos, me desculpe os anti românticos, mas nenhuma relação dura muito tempo saudável sem aqueles velhos clichês junto com boa dose de imaginação para novas surpresas, há egoísmo até na hora de usar sua parte cerebral para criar.

Nas grandes cidades, quantas vezes reparamos naquele sorriso de criança, no mendigo com frio na rua, no cachorro abandonado, na senhora idosa que vem em pé no metrô, no deficiente para se locomover… Quantas vezes reparamos em nós mesmos o quanto todas essas coisas passam despercebidas, mas que elas acontecem ali, todos os dias.

Na vida cotidiana, existem lamentações por tudo, trabalho, família, amigos. Já parou para pensar em porquê sua reclamação se você é o dono de suas próprias escolhas, se a vida que tem é exclusivamente sua? Mas que vivemos também em sociedade com milhares de outras vidas. 

Quando pararemos de olhar para nosso próprio umbigo, e lembraremos que enquanto passamos por um problema, existe alguém que passa por um muito pior e assim sucessivamente.

Que a lei da vida é que nascimento, o crescimento e a morte, porém nem todos vivem todas as etapas, que estamos sujeitos a tudo, todas alegrias e todas tristezas. No entanto, quão bom é ver, ao menos tentar ver que precisamos de ajuda e ajudar o próximo, que o sol nasce para todo mundo, assim como a morte também vem para todo mundo, que não somos os melhores ou piores, mais pobres ou mais ricos, mas que somos apenas humanos, porém a humanidade em nós está se perdendo a cada respiração dada.

 

B.O

Advertisements